Porque você não consegue ganhar dinheiro no Day Trade: Pois comete esses 5 erros diariamente

Eu sei que você já tentou iniciar na bolsa de valores ou até mesmo no Bitcoin com day trade, e eu duvido que você conseguiu ganhar dinheiro… sabe porque? Você comete diariamente os 5 maiores erros do day trade:

Você já sabe minha visão sobre day trade, se não sabe, leia aqui.

Day trade é quase impossível, e 99% de vocês que estão lendo desistirão ou quebrarão.

Vocês nasceram para o mundo corporativo.

Horário, ponto, almoço, décimo terceiro e férias…

O 1% que conseguirá sucesso no day trade, logo logo entenderá a dificuldade e o risco do processo, pegarão o dinheiro acumulado e sofisticarão suas operações.

Ainda sim, sou um fã do day trade pelo simples motivo de ser a porta de entrada para os reles mortais (eu e você que com 18 anos não possuímos 100 mil reais) ao mercado financeiro.

É o primeiro passo.

O day trade é democrático!

Eu mesmo fui inciado na bolsa de valores há 4 anos atrás via day trade, confira.

Acontece que o mercado mais democrático da bolsa de valores atrai os pequenos e iniciantes, claro. Por isso, é onde os charlatões nadam de braçada.

Esqueça todos os cursos caros de day trade que você já comprou, na verdade, jogue todos eles no lixo!

Neste outro texto aqui eu elenquei os 3 grandes segredos que todo curso de day trade vai te cobrar uma fortuna para te contar no fim das contas.

Se você ler este texto até o final, assimilar o conhecimento, e parar de cometer diariamente os 5 erros que significam a morte do trader, você estará apto ao novo nível de investidor.

Day Traders não Stopam!

Existem diversos perfis operacionais, estratégias de trading e métodos de análise distintos, no entanto, há um elemento consensual que há de ser compreendido e incorporado no dia-a-dia de qualquer day-trader, o STOP.

  • O stop loss, é o limite de perda automático.

É a principal ferramenta de um trader.

Permitindo a proteção do seu capital, o Stop Loss é que o te mantém “vivo” no jogo.

O que ocorre, porém, é uma atitude relapsa de muitos operadores de day-trade, que optam por não fazer uso dessa ferramenta, seja por estarem super confiantes, ou apresentarem dificuldade em aceitar que podem estar errados, ou simplesmente por considerarem desnecessário.

O processo de aceitação de um erro é anti-intuitivo e inerente a qualquer ser.

Por isso, o Stop Loss é contra a sua essência, por isso é tão difícil utiliza-lo.

Todavia, esse tipo de mentalidade é bastante perigosa tendendo a provocar prejuízos, na maioria das vezes maior do que o tolerável para aquela operação.

São diversos os exemplos e casos de traders, que devido a não utilização do stop, incorreram em prejuízos, em um único trade, capaz de abalar o seu psicológico para aquele dia, semana ou até meses.

A única maneira de um day-trader ou trader obter sucesso é por meio de uma gestão de risco eficiente (e sendo disciplinado religiosamente à ela), o que só é possível através da utilização do stop.

Ele irá te proteger de uma eventual oscilação atípica nos preços, além de não permitir que a decisão de sair ou não de uma operação perdedora, seja tomada sob influência emocional.

O trader perfeito é isento de emoções.

Existem alguns falácias contra a utilização do stop, do tipo “o stop é pra quem não tem confiança no que está fazendo”, ou ainda:  “Stop em ativos voláteis como índice e dólar, te faz “stopar” a todo momento”.

  • Isso é uma mentira que só sai da boca de perdedores.

Para qualquer uma dessas teorias, argumento sob a luz de todo o racional explicitado acima, a verdade é que o mercado é imprevisível (principalmente em janelas curtas de tempo), logo, independente de quão bom você seja, você vai errar, e que sem gestão de risco é impossível ser lucrativo no longo prazo.

Dito isso, apesar de quão confiante esteja no trade, o stop está ali única e exclusivamente para proteger seu capital, e que aliado à uma gestão de risco/retorno bem definida, no fim do dia (semanas, meses), terá valido a pena.

O stop deve ser trabalhado em vários cenários diferentes:

  • Stop loss por trade
    Qual limite financeiro você está disposto a arriscar naquele trade determinado
  • Stop loss diário
    Qual limite financeiro você está disposto a arriscar naquele dia
  • Stop loss semanal
    Qual limite financeiro você está disposto a arriscar naquela semana
  • Stop loss mensal
    Qual limite financeiro você está disposto a arriscar naquele mês

Quando e Quais tipos de Stop utilizar para o day trade?

  • Stop financeiro – O mais importante de todos.

Significa um patrimônio máximo e mínimo que você topa arriscar em determinada operação, seja ela diária ou de tempo ilimitado.

O stop financeiro é obrigatório!

  • Stop por tempo – Impõe-se limite de tempo para que os determinados alvos sejam alcançados.

Ou seja, se você compra uma ação e vislumbra determinado alvo financeiro para o período de 2 meses, você estipula que em 2 meses, independente de onde estiver o preço, você sairá do trade.

O Stop por tempo só funciona bem aliado ao stop financeiro.

  • Stop por motivação – É o stop mais relativo da lista, e o mais inteligente.

Quando aplicado com maestria, o stop por motivação agrega ao seu emocional e ao seu patrimônio.

Sempre que você entra num investimento é motivado por algum fator.

A partir do momento que o motivacional não mais existe, é lógico concluir que aquela operação deve ser finalizada.

Seja um sinal gráfico, um indicador técnico/fundamentalista, uma onda de investimentos do exterior… Seja qual for sua motivação.

Um exemplo prático:

Comprei PETR4 para day trade, motivado pelo anúncio semanal das quartas-feiras do estoque de petróleo, que se mostrou bem favorável a estatal.

Comprei e tracei meu alvo a 80 centavos acima.

O Irã então anuncia medida protetiva ao fornecimento de petróleo e taxação do barril aos Estados Unidos… pronto, minha motivação já era.

Devo stopar imediatamente.

O stop é sempre seu melhor amigo!

Imponha limites de perdas diários, semanais, mensais e anuais.

É o chamado lockout.

Eu só estou vivo até hoje porque aprendi a utilizar e respeitar o stop, e isso nos traz ao 2º ponto:

Day trader faz preço médio (preço mérdio)

Acima discorremos sobre a crucial importância do stop, no operacional de um day-trader, e como essa ferramenta dissipa o risco de ruína do operador.

Há no entanto, um erro bastante recorrente e comum entre operadores intra diários, que é a realização de preço médio nas operações.

O preço médio em si não é errado, todo operador grande realiza preço médio.

O caso é que você, day trader, não é um operador grande.

Além disso, o preço médio é utilizado por quem conhece de verdade como entrada por faixa de preço.

Um grande player não monta toda sua posição num preço só!

A verdade é que o preço médio no day trade é sempre utilizado para mascarar entradas erradas!

Mas o que é preço médio afinal?

Consiste em não apenas não utilizar o stop nas operações, mas realizar novas compras/vendas, “a favor” da operação perdedora.

Comprei em 10, quero que suba para 11 – Caiu para 8 – Eu stopo? Não, compro mais!

Percebeu? você aumenta sua exposição numa operação perdedora!

Sei que você que não opera, entendeu que o preço médio é uma burrice e que nãoa credita como alguém faz isso!

Comece a operar e você também fará! Todos fazem!

Na prática, o indivíduo entra em uma operação comprado, por exemplo, o preço cai 2, 3 pontos aquém do seu preço de entrada, e ao invés de stopar, aceitar o erro e o prejuízo, o sujeito topa aumentar sua posição comprando 2, 3 ou 10 vezes o tamanho do seu lote inicial, repetindo a “tática”, toda vez que o preço vem contra sua posição.

O preço médio mais perigoso é aquele que dá certo, pois ele te ensina o errado!

Faça preço médio 10 vezes, eu aposto que dará errado na maioria das vezes!

Ao fazer um preço “pra trás”, o trader está melhorando seu preço médio de entrada, em troca de um aumento na sua exposição.

Esse tipo de sensação de estar aumentando a chance de seu trade se tornar bem-sucedido, acaba muitas vezes, se provando altamente equivocada e danosa para o operador, pois, uma vez que o preço não volte na direção que ele espera, o rombo financeira terá sido bem maior do que o aceitável, à priori.

É razoável a compreensão de que essa “tática”, detém um elevado risco de ruína (quebrar a banca) pois as decisões de compra/venda passam a ser cada vez mais emocionais, promovendo uma bola de neve.

Esse tipo de falha operacional, derivado de um gargalo emocional, é bastante comum entre traders iniciantes, que por serem inexperientes, são bastante despreparados, indisciplinados, e mais emocionais em suas decisões de compra e venda.

Existem operadores experientes e bem-sucedidos que fazem uso dessa estratégia? sim!

Tudo deve ser pensado e calculado. Afinal, como diz meu Tio Ricco:

MUITO RISCO, POUCO EGO!

O objetivo desse artigo, o que desejo chamar a atenção do leitor: Como a decisão de realizar o preço médio está sendo feita, se é de maneira racional, analítica e discricionária, ou por influências comportamentais e impossibilidade de de aceitar um erro?

O mais importante é ter sempre bem claro, qual sua tolerância a risco e lembrar, quanto amior a possibilidade de retorno, maior o risco!

Respeitar seu gerenciamento de risco fielmente e ter a consciência de que com preço médio ou não, qualquer falha  na gestão ativa de risco, lhe remete ao real e latente, risco de ruína financeira.

Day trade não aceita vingança!

O que passou, passou!

Esse tópico poderia facilmente resumido numa frase:

Se cai 50%, para recuperar precisa subir agora 200%

É simples: NÃO EXISTE ESSE NEGÓCIO DE RECUPERAR

Se você operar por vingança, querendo se recuperar de perdas financeiras pregressas ou com a necessidade do dinheiro para quitar obrigações, a vala é certa!

Como já explanamos nos últimos artigos o potencial de destruição financeira em ambas as decisões, de não stopar operações perdedoras, e realizar preço médio de maneira indiscriminada, há outro tipo de mindset, igualmente prejudicial para o trader, e que normalmente ocorre de maneira recorrente, com traders iniciantes.

O que acontece é que geralmente, a grande maioria dos day-traders, se ancoram em fortes expectativas financeiras, depositando alta carga emocional em cada operação.

Ficam com o olho grudado na variação do dinheiro na tela, a cada tick, o pensamento está em quanto se está perdendo ou ganhado de dinheiro, provocando dessa maneira sentimentos de ganância, raiva, desespero.

Após cada click, deixam de ser traders para se tornarem torcedores.

O grande problema desse tipo de ancoragem emocional é que gera um ciclo vicioso, e após começar o dia perdendo, ou até mesmo já ter perdido uma quantia financeira significativa, o operador começa a operar para recuperar o dinheiro, e não de fato por quê identificou uma oportunidade.

Nesse modus operandi, a chance de o trader ser lucrativo no fim do dia, semana ou mês, é ínfima.

É importante não confundir gestão devida de risco com excesso de paranoia e foco simples e exclusivamente no financeiro.

Uma vez identificada a oportunidade e tomada a decisão de clicar – considerado um risco x retorno adequadoestipule o seu stop, e não se aflija, pois, a confiança na operação deve lhe dar a tranquilidade e frieza necessárias, para realizar qualquer mudança de curso, assim como, respeitar seu objetivo de retorno, estando intacta a análise.

Day traders não sabem a hora de parar!

Saber a hora de parar é fundamental na vida aplicada.

Saber o momento de encerrar o dia, tende a ser um grande desafio para diversos operadores, que estando positivos ou não, apresentam dificuldade de parar de operar.

Por isso é tão importante a construção e obediência a metas!

Ganância é diferente de ambição.

A ganância sempre te leva a ruína.

No caso do day trade, os piores dias, anotem o que falo, são aqueles que você estava ganhando, fazendo uma boa grana, continua operando querendo mais e mais…. e perde tudo!

É bem parecido com o caso do tópico acima, operar para recuperar.

Na maioria dos casos, quem opera por vingança, para recuperar o que perdeu, acaba perdendo mais!

Saber a hora de encerrar as operações é de grande valia, tendo em vista que muitos financeiros são devolvidos ao mercado, e muitos prejuízos são ampliados.

O grande problema na decisão de continuar operando se dá pelas razões por trás da decisão.

Se aquilo que o motiva é a ganância de triplicar um ganho já construído, ou de recuperar um prejuízo, a decisão tende a se mostrar equivocada e danosa.

Por outro lado, a decisão de continuar operando até o fim do pregão é extremamente saudável e construtiva, se pelas razões apropriadas, e a devida gestão de risco.

É importante enfatizar que este artigo não é uma sugestão a parar de operar quando se atinge a meta, ou uma crítica aqueles que permanecem operando por todo o pregão, muito pelo contrário, acredito que um trader para de fato ser lucrativo no longo prazo, precisa extrair o máximo dos dias bons, e procurar perder pouco nos dias ruins.

Acredito ainda, que se deva sim continuar operando após ter atingido uma “meta” pré estipulada, porém, desde que pelas razões corretas que basicamente são, se apegar às oportunidades e não a um sentimento de ganancia e revanchismo, e acima disso, estar condizente com um gerenciamento de risco intra-diário adequado.

Me refiro aos chamados loss-from-top e gain-from-bottom.

Essas estratégias de gestão consistem em estipular e respeitar um draw down máximo, uma vez atingido a meta financeira do dia, assim como o stop diário.

Por exemplo, vamos supor que esteja satisfeito com 1.000 reais de meta diária, a sugestão é continuar operando para atingir 1500, 2000… porém caso regresse para 800 reais, devo ser disciplinado e encerrar as operações.

  • Isso é Loss-From-Top

Já o gain-from-bottom é o contrário, ou seja, uma vez atingido meu limite diário de perda máxima, continuo operando, caso julgue interessante, até meu limite máximo de atingir 1200.

Dessa maneira e com esse racional, um trader estará diante de um estratégia convexa, ou seja, uma possível ampliação de prejuízo (limitada em 20%), é bem menor do que um eventual incremento de ganho (ilimitado).

Lembrando que cada pessoa detém um estilo operacional e um perfil de risco, logo, é importante uma avaliação e julgamento individual, do que pode ou não ser benéfico pra cada um.

Eu sou adepto ao Loss-from-top e abomino o Gain-from-bottom.

Gain-from-bottom simplesmente não faz o menor sentido!

Porque estipular um limite de perda máximo se sei que posso ultrapassar aquele limite em 20%?

Automaticamente sei que meu limite sempre é o stop preestabelecido + 20%.

Day trading não é Overtrading

O último mas não menos importante erro é o chamado overtrading.

Se refere ao excesso de operações feitas com baixo grau de filtragem.

Tais operações criam simplesmente sujeira, barulho, ruído ao seu operacional. Você se torna uma máquina sem setup, operando ao acaso.

Lembre-se: Cada click custa grana! Remete a um aumento dos custos operacionais.

Ativos como dólar, índice, e commodities agrícolas, por serem mais voláteis, são mais propensos para se cometer overtrading.

Há a falsa sensação de mais oportunidades a todo momento.

Isso se dá devido à característica mais tóxica do fluxo, ou seja, alta presença de pessoas físicas, HFT’s (robôs de alta frequência), hedgers, arbitradores, além do fluxo real de estrangeiros e institucionais.

Diante dessa realidade é crucial que o trader, tenha a frieza, tranquilidade e paciência, e procure filtrar mais suas operações, sempre procurando por oportunidades que lhe conferem adequada relação risco/retorno.

Mais uma vez, faço questão de salientar, a ausência de crítica àquele perfil operacional de alta frequência, apenas expresso a importante consciência de que cada tomada de decisão seja feita de maneira analítica, discricionária e com a frieza que a profissão demanda.

Dessa forma, muitas ou poucas operações, terão sido feitas não por ansiedade e impaciência, mas por um julgamento racional de identificação de oportunidades.

Conclusão:

Cada trader há de desenvolver seu perfil.

O importante é nunca entrar no modo automático e operar com displicência.

O mercado cobra caro por seus atos.

Toda operação ou estratégia sua deve ser bem embasada e fundamentada e fazer sentido num contexto geral.

Se só faz sentido para você, algo está errado.

No fim das contas, o importante é ganhar dinheiro.

Se você ganha dinheiro regularmente há um bom tempo, ok, desconsidere tudo que leu.